Cyberpunk 2077 |Desenvolvedores abrem a boca e contam tudo sobre o game

Não é novidade para ninguém que Cyberpunk 2077 era o game mais aguardado da geração PS4/XB1 e quando foi lançado, se tornou a maior decepção da geração, se não uma das maiores decepções de toda geração de consoles.

Agora, Jason Schreier fez um artigo no Bloomberg relatando várias conversas e opiniões da equipe por trás do ambicioso jogo.

Começando então com a informação de que os desenvolvedores acreditavam que o game poderia ficar pronto somente em 2022 e que, quando a CDRP disse na E3 2019 que o game seria lançado em 2020, o pessoal simplesmente “coçaram a cabeça” e começaram à fazerem apostas entre eles para saberem se o game ficaria pronto antes de 2021!

Outros ainda relatam que o game foi anunciado em 2012, mas só começou realmente à ser produzido em 2016. Isso porque a equipe estava trabalhando nas DLCs de The Witcher 3. Algumas pessoas informaram também que o game estava sendo desenvolvido junto com a engine e ainda relatam que fazer isso era “Como andar de trem enquanto os trilhos estão sendo colocados no chão”, ou seja, essa decisão de criar a engine junto com o jogo se mostrou completamente absurda e problematica.

Um desenvolvedor disse que eles eram obrigados à trabalhar mais de 13 horas por dia e que algumas pessoas perderam suas famílias nesses processo por passarem mais tempo no trabalho do que em suas casas. E o caso só piorou depois com a pandemia, na qual eram obrigados à trabalharem de segunda à segunda em suas casas por “home office”.

O salario pago pela CDPR também não era dos melhores, sendo que havia pessoas ali que mal recebiam US$ 700,00 por mês e que a barreira do idioma atrapalhou e atrasou muito o processo. Mais da metade das pessoas envolvidas em The witcher 3 saíram da empresa quando viram que o projeto era problemático, deixando um desfalque enorme e até o lançamento do game, não tinha sido plenamente preenchido. Pessoas falando polonês, ao lado de pessoas que falavam inglês tornavam tudo mais complicado

Como podemos ver, as empresas de jogos nem sempre são um paraíso e por vezes acabam tratando seus funcionários apenas como números e que precisam bater suas metas mirabolantes de qualquer forma. Caro amigo e leitor, isso que está acontecendo com a CDPR é apenas o retorno de suas ações, consequências por terem tomado decisões erradas por anos e pode ter certeza que teremos mais revelações nos próximos meses.

Deixe uma resposta