Análise | Little Nightmares

É comum no mundo Playstation um jogo não receber a devida atenção quando não possui um troféu de platina, foi o caso de Little Nightmares. O título que estreou lá pela metade de 2017 pela Bandai Namco é uma obra belíssima que merecia ter conquistado maior destaque na nossa biblioteca de jogos.

Controlamos Six, uma garotinha que vive nas profundezas de um navio comandado por criaturas poderosas e gulosas. Trajando apenas uma casaco amarelo – não tem como não lembrar da Greta Thunberg. Six, no entanto não está preocupada com a saúde do planeta, apenas em sair viva das condições inumanas onde reside.

Esse é o Bocarra, navio onde o jogo é ambientado.(Foto/Reprodução: Ígara Ferreira)

Desenvolvido pela Tarsier Studios e projetado por Dennis Talajic, exploramos um jogo de plataforma com um forte clima de Survival Horror. Além do mais teremos que pensar muito para resolver os puzzles espalhados por cada uma das fases, o que com toda certeza é um dos pontos mais fortes da campanha.

Com uma iluminação e sonoplastia dignos de um bom filme de terror, fica fácil confundir Little Nightmares com um dos contos dos irmãos Grimm. Ele é genuinamente simples, como uma história infantil, contudo trás traços de um terror deveras pesado no seu enredo.

Escalar, puxar e empurrar são ações comuns por aqui .(Foto/Reprodução: Ígara Ferreira)

A jogabilidade é satisfatória, mas em algumas passagens se torna falha e atrapalhada. Em vários momentos de Little Nightmares precisamos agir com rapidez, logo se a personagem não agarrar algo no momento exato que apertamos os botões, podemos acabar sendo apanhados por algum dos inimigos presentes ali.

Nossa garotinha de casaco amarelo passa por alguns momentos de fome intensa – não é atoa que o jogo quase se chamou Hunger – e nos deixa com a sensação de possuir uma história por trás do que nossos olhos são capazes de enxergar. Porém, como não existem falas e nem textos presentes em toda a história, tudo fica a cargo de nossa imaginação.

Todo inimigo quer devorar você ou guardar pra mais tarde. (Foto/Reprodução: Ígara Ferreira)

Podemos por fim dizer que é como jogar poesia, você lê, acha bonito e as vezes não entende o que o autor realmente queria te mostrar! O ar misterioso é sexy e nos instiga a continuar jogando. Por isso, com a chegada de Little Nightmares 2 em meados de fevereiro de 2021, para os amantes de um jogo inteligente em diversos sentidos, pode ser uma boa pedida para divertir o tempo.

Deixe um comentário