Análise | Dreamcast: Metropolis Street Racer

  • Em uma época na qual o Playstation 2 já era uma realidade e logo ao horizonte já pairavam o GameCube e o Xbox, a SEGA veio com um último suspiro para o Dreamcast, com o melhor jogo de corrida para o seu console de 128 Bit, M.S.R

  • Desenvolvido por: Bizarre Creations
  • Publicado por: SEGA
  • Lançamento: 03 de novembro de 2000
  • Gênero: Corrida
  • Jogadores: 1 à 2 jogadores (até 6 online)
  • Lançado para: Dreamcast

UM DOS GRÁFICOS MAIS BONITOS DO DREAMCAST

Metropolis Street Race, ou como é conhecido, M.S.R foi um marco não só para o Dreamcast mas também para qualquer console da época. Logo de cara o que mais chama a atenção é a beleza dos cenários, das pistas, das construções em que podemos correr e até mesmo nos detalhes do chão. As pistas não possuem pessoas torcendo, ou qualquer ser vivo perambulando próximos a corrida, só a quantidade de objetos que podemos ver a curto, médio e a longo prazo é de deixar qualquer de boca aberta. Tóquio, uma das cidades do jogo possui uma quantidade absurda de detalhes como prédios cheios de letreiros, praças, lojas, viadutos, tuneis. O mais bonito em Tóquio é jogar de noite pois esses detalhes aumentam ainda mais com as lindíssimas luzes dos postes, Outdoors e os faróis dos carros.

Os carros em MSR são muito bem construídos, muito próximos de suas contrapartes da vida real. O efeito reflexivo no bólido dos carros, mostrando o reflexo de outros carros, das pistas ou das luzes ao redor dele é muito bonito. O nível de detalhe é tão grande que é possível ver o piloto dentro do carro mexendo no volante e trocando de marcha! Esse detalhe é maravilhoso vindo de um game no final dos anos 2000.

Várias fabricantes estão disponíveis no game como Nissan, Renault, Fiat, Mazda, Mitsubishi, Ferrari e muitos outro. Todos os carros dessas fabricantes estão fielmente representados no game.

Agora um dos pontos que mais chamam a atenção é a passagem de tempo que o game possui. Logo ao iniciar a partida, o game pede para você escolher em qual região do mundo você mora e com dados nessas informações, o game irá mostrar como cada cidade se comporta baseados no horário em que o relógio do seu Dreamcast está. Por exemplo: Se você colocar como região América do Sul e o seu relógio no Dreamcast estiver marcando umas 14:00 e for disputar uma corrida em Tóquio, você correrá no meio da madrugada, com uma certa névoa na pista e uma coloração mais escura, para demonstrar que se está correndo bem tarde da noite. Já na sua próxima corrida, se for em Londres, poderá ver uma pista com um aspecto mais claro, com tons em branco e cinza, para demonstrar que se está correndo logo no início da manhã. Existe até eventos que precisam ser disputadas em determinadas horas do dia. O esquema é ir lá nas configurações do console e mudar para a hora que a pista exige e ai é só correr e ganhar os seus kudos.

O QUE É ESSE TAL DE “KUDOS”?

MSR traz um novo conceito em jogabilidade. Logo de cara ficamos sabendo que não vale apenas chegar em primeiro nas corridas, mas precisa ter estilo na hora de pilotar. Os Kudos são pontos de estilo que ajudam o jogador a avançar para as próximas corridas e também servem para desbloquear novos carros.

O game é dividido em 15 estágios, cada qual com 10 missões para se completar. Essas missões se resumem em ultrapassar uma certa quantidade de carros no tempo limite, disputas 1×1 com algum carro mais rápido do que o seu, fazer manobras arriscadas como drift para acumular mais Kudos, correr em três pistas em série e etc. Completando uma pista, ao termino dela, é somado o tempo que se concluiu a corrida, quantas manobras arriscadas você fez e o quanto de batidas você teve. Sim meu amigo, bater o carro nas laterais das pistas, nos outros corredores e até mesmo os seus rivais batendo em você já deduz uma quantidade de kudos. A somatória de tudo lhe é dado e assim é mostrado o quanto de Kudos você precisa para desbloquear a nova pista ou até mesmo se os atuais pontos que você tem já é o suficiente para passar para a próxima corrida. É possível jogar a mesma pista para se conseguir um desempenho melhor, mas caso você não se saia bem, perderá os Kudos que você tinha acumulado da tentativa anterior.

Como foi dito antes, MSR possui muitos carros e todos eles são fiéis aos carros da vida real, mas além desses carros, podemos ainda desbloquear ônibus, táxi, kart e até ambulância. Mas, por mais que o game traga carros reais e suas montadoras, a jogabilidade vai para uma via arcade. Bater um carro de frente à mais de 200 por hora no máximo vai fazer o seu carro levantar uma ou duas rodas e perderá uma quantidade absurda de kudos. Por mais que tenha uma jogabilidade arcade, pegar um carro e sair correndo é super fácil  e intuitivo e cada carro responde de forma única ao manejo no controle e é bem próximo de como se pilota na vida real.

AUMENTA O SOM AI!

Sem sombra de dúvidas, a parte sonora é aonde MSR realmente brilha mais forte. Os sons dos carros são excelentes e os mais nítidos que se tinha em qualquer console da época. Cada carro possui seu próprio barulho e isso enriquece ainda mais a experiência em correr. Já as músicas do game, meu amigo o que é isso. Quando joguei MSR pela primeira vez lá no final de 2000 eu fiquei completamente entorpecido com tamanha qualidade. O game possuem 9 estações de rádio e cada uma delas se comporta conforme a cidade na qual você está correndo. É muito legal escutar o radialista em São Francisco falar das corridas que ali estão acontecendo e dizer que a previsão para o dia é de chuva ou neve e logo na sequencia mandar uma música Pop ou Rock para embalar a corrida. Depois, indo para Tóquio, podemos ouvir o radialista falando em japonês e em seguida tocar uma musica eletrônica.  O mais legal disso tudo? É estar correndo, todo alegre, escutando aquele rock maroto e de repente passar em um túnel e ouvir a radio ficar fora de sintonia! Isso é fabuloso e o rádio volta a ficar normal assim que saímos do túnel.

Caso não queira ficar só escutando rádio, é possível ir nas opções e fazer a sua própria play list com as músicas que você mais gosta, podendo escolher músicas Pop, Rock, Hip-Hop, Dance  etc.

CONCLUSÃO

MSR é de longe é o jogo mais bonito do Dreamcast e um dos melhores da geração 128-Bit. Com gráficos inimagináveis para o console da Sega, carros licenciados, gostoso de se controlar os carros, esquema diferenciado ao obrigar o jogador à obter os tais Kudos e sem duvida alguma o game com uma das melhores trilhas sonoras já vistas. Agregue à tudo isso as partidas online que na época foi muito bem vinda, ainda mais por ser um dos primeiros jogos de corrida à trazer essa opção para um console de mesa.

Infelizmente por causa do Playstation 2 e os críticos da época que só sabiam falar no novo console da Sony e o comunicado da SEGA em parar de lançar games para o Dreamcast, transformaram Metropolis Street Racer em um game “Cut” em que poucos puderam colocar as mãos nele, mas aqueles o puseram, com toda a certeza não se arrependeram.

Vídeo meramente ilustrativo mostrando o gameplay de MSR

Fonte do vídeo: RickyC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *