Análise | Switch: Monster Hunter: Generations Ultimate

Monster Hunter World: Iceborne foi sem sobra de dúvidas o maior sucesso da franquia, ainda mais depois da chegada de monstros como Alatreon e o grande “Final Boss” Fatalis.

Mas, como não havia a possibilidade de portar Monster Hunter World: Iceborne para o Switch sem ter grandes cortes, a Capcom resolveu remasterizar Monster Hunter XX (Double Cross) do 3DS para o Switch e fazer com que os jogadores fossem se divertindo com as caçadas até que ela pudesse criar um Monster Hunter para o console híbrido da Nintendo utilizando todo o seu poder, que no caso é o mais recente anunciado, Monster Hunter: Rise.

Mas enquanto março de 2021 não chega e com ele o MH:R, vamos conferir como ficou MH:GU para o Switch.

    Desenvolvido por: Capcom

    Publicado por: Capcom

   Lançamento: 28 de agosto de 2018.

  Gênero: Ação, RPG

   Modos: 1-4 Jogadores.

   Lançado para: Switch (3DS como Monster Hunter XX, Somente no Japão)

MECÂNICAS DA VELHA GUARDA

Logo de cara eu devo lhe avisar de uma coisa: Se você adentrou na série pela primeira vez com Monster Hunter World e deseja se aventurar em MH:GU saiba que os mundos são completamente diferentes. Monster Hunter: Generations Ultimate pode ter saído no Switch meses depois de MHW, mas o game em si é uma versão HD de Monster Hunter XX do 3DS, que por sua vez, é uma versão “Ultimate” de Monster Hunter Generations também lançado no 3DS lá em 2015. Sendo assim, toda a agilidade, desempenho e fluidez que temos em MHW não é vista aqui.

MH:GU é na pratica um game que ainda remete aos controle duros, pesados e punitivos vindos de longa data dos games anteriores e isso pode afastar um bocado de gente que só conheceu a série pelo MHW. O game original, MH Generations foi lançado em 2015 para comemorar, na época, os 10 anos da franquia e por isso mesmo sua mecânica é tão datada.

Nesse game, nós temos que levar pedra de amolar, para afiar armas de ataque corpo a corpo, comprar picaretas para garimpar minérios, comprar vara de pescar para pegar alguns peixinhos e várias outras coisas que nos ajudam na hora de criar algum item consumível ou mesmo para criar armas, armaduras e amuletos.

O COMEÇO É LENTO, MAS MELHORA COM O TEMPO

O começo de MH:GU pode ser bem cansativo para os iniciantes na série vindos de MHW. Só para se ter uma ideia, somos obrigados a passar as primeiras 5 horas coletando plantas, pegando pedaços de ossos largados no mapa, garimpando certos tipos de minérios. Essas missões são dadas pela moça da guilda e em determinado momento, teremos as missões de caçar os monstros! Essa demora toda é para ambientar o jogador com o mapa do game, aonde pegar cogumelos, plantas e minérios que são importantes na criação de certos itens, armas e armaduras. E por falar em mapa, MH:GU tem praticamente um mapa de cada Monster Hunter da série principal já lançados até aqui, todos adaptados para os novos padrões do game, como alto relevo em certas partes do mapa para que o Hunter possa usá-lo como “trampolim” e tentar montar nos monstros, ou certo mapas que sofreram modificações para se adaptarem ao game, como as partes aquáticas nos mapas de Monster Hunter 3 Ultimate que tiveram de ser retiradas aqui.

MUITAS ARMAS E ARMADURAS

Logo de cara temos 14 tipos de armas que variam entre Grande Espada, Espada Dupla, Espada e Escudo, Lança Arma entre outros. Além dessa variedade de armas, saiba que foram acrescentados os Hunters Styles que modificam completamente o gameplay.  Só para dar um exemplo, existe Hunter Styles que faz com que o Hunter possa se esquivar exatamente na hora que receberia um ataque certeiro ou mesmo que possa fazer o Hunter “pular” em cima do monstro e ataca-lo em pleno ar. Também temos de novidade as Hunter Arts, que ao ter sua barra preenchida, pode nos dar um golpe “especial” que dá muito dano nos monstros.

Essas Hunters Styles e Hunters Arts dão um frescor para a série e deixa o game bem divertido, mas também, em certo ponto, deixa o game meio “quebrado” e facilita um bocado algumas caçadas.

Graças a enorme quantidade de monstros que temos no game (mais de 94 monstros), temos uma variedade enorme de opções de armaduras. Todos os monstros que caçamos liberam pelo menos dois tipos diferentes de armaduras, uma voltada para os Hunters que gostam de usar ataques corpo a corpo, e outro tipo de armadura voltada para quem gosta de usar armas de longa distância.

No começo enfrentamos monstros de LR (Low Rank) e podemos fazer armaduras desses monstros, depois começam a nos dar missões HR (High Rank) na qual enfrentamos praticamente os mesmo monstros, só que mais fortes, e também podemos fazer as armaduras deles, por fim é nós dado as missões GR ( G-Rank) em que seria a dificuldade Hard do game e também podemos fazer as armaduras desses monstros. Claro, elas sempre mudam algum pequeno aspecto visual delas, mas o mais importante é que cada uma muda sua defesa, seus engates para colocar joias que podem lhe dar algum atributo como mais defesa, mais ataque, maior resistência a algum tipo de elemento ou status (fogo, água, gelo, veneno, paralisia etc).

E TAMBÉM MUITAS MAPAS PARA EXPLORAR

Por ser um game comemorativo, MH:GU traz pelo menos um mapa de cada Monster Hunter da série principal já lançado. Então temos monstros e mapas vindos de Monster Hunter G (PS2/Wii), Monster Hunter 2 DOS (PS2), Monster Hunter Freedom 1 e 2 e Monster Hunter: Freedom Unite (PSP), Monster Hunter Portable 3rd (PSP/PS3), Monster Hunter 3 Tri (Wii), Monster Hunter 3: Ultimate (Wii U/ 3DS) e Monster Hunter 4: Ultimate (3DS).

O mais legal disso é ver que os monstros ganharam mais detalhes e até mesmo novos movimentos.

Os mapas antigos receberam uma nova roupagem e ficaram muito bonitos, ainda mais se compararmos os mapas do Monster Hunter G do PS2 e Wii com o MH:GU do Switch. Tudo está em alta definição e mais agradáveis aos olhos. Vale lembrar também que é imprescindível estudar cada mapa e saber aonde coletar os itens necessários para a criação de armas e armaduras, além de estudar cada habitat dos monstros pois cada monstro começa em certas partes do mapa e quando estão cansados, eles se dirigem para certas áreas dos mapas para dormir e é nessa hora que podemos captura-los com mais facilidade.

JOGAR ONLINE É MUITO DIVERTIDO

Monster Hunter Generations Ultimate não é um dos games mais fáceis de se jogar, tanto pelo fato de ter uma mecânica truncada, seja pela dificuldade ou mesmo pela agressividade dos monstros. Por vezes parece que o monstro “lê” os nossos pensamentos e sabe exatamente o tipo de ação que teremos e consegue se antecipar e fugir do nosso ataque no último momento, ou anular uma ação nossa no exato momento. Mas o mais legal é jogar online, com os amigos ou com outras pessoas aleatórias. É possível jogar em até 4 players cooperando entre si para derrotar aquele monstro que está lhe dando dor de cabeça no solo. É sempre um ajudando o outro e o trabalho em equipe e entrosamento são essenciais para a vitória.

É aqui no online que mora uma forma de quebrar o game. Jogando o modo história (se é que podemos falar que MH:GU tenha um), é meio difícil de se conseguir criar boas armas e armaduras, e os embates com os monstros são os mais tensos e até injustos que poderia ser. Agora, se você for jogar online com os amigos, pode ir derrotando certos monstros, farmando armas e armaduras boas, e quando voltar para o single, estará tão forte que nenhum monstro (pelo menos até chegar no G-Rank) conseguirá derrota-lo.

CONCLUSÃO:

Monster Hunter Generations Ultimate pode não ser o game que a galera do Switch queria para o console, mas com toda a certeza ele é um excelente game que qualquer um, que tenha jogado algum game da série antes, deveria de conhecer. É um game que lhe dará pelo menos 200 horas de jogatina, isso se você só for jogar o modo Single Player e talvez até ultrapasse essas horas pois a vasta quantidade de conteúdo deixa esse game praticamente infinito. Ficou cansativo? Então adentre nas partidas online e se divirta jogando com mais três pessoas ao teu lado.

Independente da jogabilidade mais presa e um início lento de dar dó, Monster Hunter Generations Ultimate é uma excelente adição à já vasta biblioteca de games para o Switch.

Se você é o tipo de pessoa que gosta de um game extenso, recheado de conteúdos e desafiador, MH:GU é o seu game!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *